A pior dor de cabeça da minha vida

  • Esta administradora de 62 anos sempre teve dores de cabeça. Mas sentiu que aquela há 5 anos atrás era diferente… Sempre tive muitas dores de cabeça, mas pensava que era o que minha família sempre teve: enxaqueca. A situação foi se agravando até que no dia 12 de junho de 2003, passei muito mal em casa, com a pior dor de cabeça da minha vida. Meu esposo teve que chamar a ambulância, e quando esta chegou, minha dor de cabeça já estava insuportável, também acompanhada de vômitos. O pessoal da ambulância constatou que minha pressão estava altíssima e por isso fui apenas medicada para baixar a pressão. Como o problema persistiu ao longo dos dias, e a dor de cabeça não passava, no dia 16 tive de ser internada no Hospital para a realização de vários exames, sendo o último uma angiografia cerebral completa que evidenciou um aneurisma em artéria cerebral média esquerda, medindo cerca de 7mm e com sinais de vasoespasmo. Eu e meu marido estávamos muito assustados, e na ocasião não tínhamos ainda conhecimento dessa técnica maravilhosa que é a embolização. Uma prima minha, que é médica nos orientou e nos apresentou a essa sumidade que é o Dr. Eduardo Wajnberg, que visitou-me no hospital dos Italianos onde estava internada e marcou o procedimento para o dia 24 do mesmo mês. Não pôde ser antes para que melhorasse o vasoespasmo. A cirurgia foi um grande sucesso, pois acordei sem nenhuma seqüela e sem sinais evidentes de uma cirurgia tão importante. Devo ressaltar que no dia da ambulância em minha casa, o aneurisma se rompeu; só não morri por estar com vasoespasmo embora tenha sangrado bastante e o sangue ficou retido no interior do crânio. Hoje faz mais de 5 anos da minha embolização e meus exames de controle indicam que está tudo bem e meu aneurisma não corre risco de sangrar outra vez. Agradeço a Deus e ao Dr. Eduardo por estar viva e trabalhando, após cinco anos da cirurgia. Esta equipe dos Drs. Feliciano e Eduardo tem proporcionado a pessoas desesperadas (como eu estava na ocasião) momentos de plena felicidade e paz. Tudo que narrei, foi contado a mim por meu marido pois não me lembro de nada que se passou. Muito obrigado Dr. Eduardo Wajnberg e que Deus o abençôe.

    Jullia Robert,
    Embolização