Estudo ISAT

Estudo Internacional de Aneurisma Subaracnóideo - ou ISAT

Sumário do Estudo ISAT

(International Subarachnoid Aneurysm trial)

O que foi o ISAT?

O Estudo Internacional de Aneurisma Subaracnoídeo – ou ISAT – é o único grande estudo que compara a segurança e a eficácia de tratamento de embolização e cirúrgico no tratamento do aneurismas cerebrais. O objetivo primário do ISAT era determinar se o tratamento endovascular comparado com o tratamento neurocirúrgico reduziria a quantidade de pacientes dependentes ou mortos, e o estudo cumpriu este objetivo

Que tipos de pacientes estiveram incluídos no ISAT?

Os critérios de inclusão primários de ISAT foram pacientes com aneurismas que romperam nos quais os médicos consideraram igualmente tratáveis, tanto pelo tratamento cirúrgico convencional ou para tratamento de embolização.

Quais foram os resultados primários do ISAT?

O estudo encontrou que, em pacientes igualmente ajustados para ambas as opções de tratamento, o tratamento de embolização produz resultados pacientes substancialmente melhores do que a cirurgia. O risco relativo de morte ou de sequelas após um ano, nos pacientes embolizados foi 22.6 % mais baixo do que em pacientes tratados cirurgicamente.

Quais são as implicações do tratamento de pacientes com aneurismas que romperam?

Os resultados sugerem que os pacientes com aneurismas cerebrais rotos sejam candidatos potenciais à embolização e devam receber uma consulta com um neurorradiologista.

Qual é a taxa de ressangramento de longo prazo dos dois procedimentos?

Não houve nenhuma diferença estatística entre a taxa nos dois grupos de pacientes. O risco da re-hemorragia depois de um ano foi dois por 1.276 pacientes endovascular e zero por 1.081 pacientes cirúrgicos.

Como os resultados de morbidade do ISAT se comparam com outros estudos?

A comparação de dados de morbidade através de estudos é falha por causa das variações em métodos da recolha de dados. O ISAT confiou em resultados informados pelo paciente na escala de Rankin modificada. Outros estudos no tratamento cirúrgico de aneurismas utilizaram outros tipo de escala, como a de Glasgow.

Temos como reproduzir as técnicas utilizadas no estudo ISAT no Brasil?

A resposta é sim. Na verdade no Estudo ISAT utilizou-se apenas a técnica básica de embolização com micro-molas, excluindo-se casos mais complexos em que seria necessário o uso de balões ou stents associados, por exemplo.