Foi trocar os óculos e descobriu o aneurisma.

  • Em setembro de 2006, ao fazer um exame no oftalmologista para simplesmente trocar a armação dos óculos, enxerguei linhas duplas (só naquele momento, nunca antes e nem nunca mais depois). Foi indicado um exame de campo visual e constou uma alteração. Fui encaminhada ao neurologista, depois ao neurocirurgião, que após exames, decobriu-se o aneurima. Que susto! Quando soube da necessidade de embolizar o aneurisma, não questionei em nenhum momento se o faria ou não, devido ao tamanho. Três meses depois, dezembro de 2006, foi realizado o procedimento, com sucesso e confirmada a existência de um segundo aneurisma, em espelho, localizado simetricamente do outro lado, de tamanho menor. Passado um ano e meio, o que fazer com este? Deixar como está e ficar sempre na expectativa de sentir algo e associar a ele, ou embolizá-lo também? Após esse período de dúvidas, foi decidido pelo procedimento, que ocorreu no dia 11/07/08, com sucesso. Deu um pouco mais de trabalho que o primeiro porque, apesar de ser menor, tinha um formato diferente,tendo sido necessário a colocação de dois stents também, para segurar as “molinhas”. Graças a Deus e aos médicos, estou mais despreocupada e valendo um pouco mais com platina em dois pontos do cérebro. Lucia Figueiredo

    Lucia Figueiredo,
    Embolização